quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

MARVÃO: Comemorações da Restauração do Concelho

No dia 24 de janeiro celebra-se o 120º aniversário da Restauração do Concelho de Marvão e o Município promove, a partir das 18h30, na Cidade Romana de Ammaia, um apontamento cultural, para assinalar a efeméride. Depois de uma breve resenha histórica sobre a Restauração do Concelho, a cargo de Joaquim Carvalho, pode assistir-se a um concerto com António Eustáquio (Guitolão) e Carlos Barretto (Contrabaixo).
Já no sábado, dia 27, às 16h00, vai ser apresentado, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o eBook “Os Caminhos d’O Conspirador”, baseado no conto “O Conspirador”, de Branquinho da Fonseca. Uma obra editada pelo Município de Marvão, com a coordenação de Maria Mota Almeida e Luís Branquinho da Fonseca.
A 24 de janeiro de 1898, Marvão recuperou a sua independência administrativa e política. Aqui fica uma pequena resenha histórica sobre a Restauração do nosso Concelho:
“A revolução liberal de 1820 trouxe consigo alterações profundas ao nível da organização administrativa do território. Desde esse período e até aos nossos dias subsiste a divisão territorial: Os distritos que se desdobram em concelhos e estes em freguesias. No entanto, ao longo de todo o séc. XIX e principalmente no interior do país, sentia-se a falta de pessoal habilitado para o exercício dos cargos políticos, bem como carência de recursos para responder às necessidades das populações”.
“Para os municípios de 3ª ordem (como Marvão) era muito complicado captar recursos financeiros necessários à administração corrente e, pelo alto índice de analfabetismo da população, era também muito difícil recrutar indivíduos aptos para participarem nas vereações”.
“Foi então, sem grande surpresa, que a 26 de setembro de 1895 foram suprimidos diversos concelhos por todo o País, no âmbito de uma reorganização política e administrativa do território português. Neste contexto, o concelho de Marvão ficou anexado ao de Castelo de Vide. Com esta reforma pretendia-se a racionalização dos recursos financeiros e humanos. No entanto, com esta alteração, foram extintos municípios com raízes seculares. Marvão era um destes casos”.
“Na documentação da altura, não consta que a população de Marvão se tenha revoltado com a situação, até porque os tempos eram de constante mudança”.

“Em fevereiro de 1897 o governo caiu, enfraquecido pela ação da oposição e pela sua própria inoperância. Em 13 de janeiro de 1898, depois de novas eleições para o governo e várias reclamações um pouco por todo o País, o concelho de Marvão foi reintegrado e, portanto, desanexado do concelho vizinho”.